segunda-feira, 14 de maio de 2012

Famílias Saudáveis Têm Comunicação Clara e Direta




“As palavras agradáveis são como um favo de mel, são doces para a alma e trazem cura para os ossos”; “Melhor é um pedaço de pão seco com paz e tranqüilidade do que uma casa onde há banquetes e muitas brigas”; “Começar uma discussão é como abrir brecha num dique; por isso resolva a questão antes que surja a contenda.” Provérbios 16:24;17:1,14.


“Evita discussões insensatas, genealogias, contendas e debates sobre a Lei; porque não têm utilidade e são fúteis.” Tito 3:9.

“Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão ou julga a seu irmão fala mal da Lei e julga a Lei; ora, se julgas a Lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tiago 4:11.

Outra característica das Famílias Saudáveis é o fato de terem “comunicação clara e direta”. Esta é a quarta característica dada pelo psicólogo e Pr. Jorge Maldonado, em palestra no 15º. Congresso do CPPC – Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos do Brasil. Outras três qualidades: a Capacidade de Perdoar, Vivenciar Valores Espirituais e Estruturas Consistentes e Flexíveis
Uma boa comunicação é vital para o ótimo funcionamento familiar. As investigações sobre a comunicação do casal e da família apontam que podemos aprender as habilidades tanto de FALAR como de ESCUTAR. Assim, aprendemos de nossas famílias de origem, maneiras funcionais ou disfuncionais de nos comunicarmos.
O Dr. John Gottman, psicólogo da Universidade da Califórnia, pesquisou por 20 anos, perto de 3 mil casais, num interessante programa de pesquisa: cada fim de semana, um casal convidado tinha suas reações monitoradas, numa casa-laboratório parecida com um “Big Brother”. Tudo o que falavam, reações faciais, calor do corpo, pressão sanguínea etc., era registrado para pesquisa.
Eles seguiram as pistas tanto dos casais que permaneciam juntos, quanto dos que terminaram se divorciando. Os felizes e os infelizes. Traduziram tudo em estatísticas e puderam documentar com dados sólidos, que a grande maioria dos casais briga. Até os mais felizes, não resolviam 69% de seus desacordos. A chave do êxito, não é se “brigam ou não”, mas sim “COMO brigam”: com gentileza, sem exaltar-se a ponto de disparar o coração.
Gottman identificou o que chamou de “Quatro Cavaleiros do Apocalipse no Casamento”: a crítica, o desprezo, a defensividade e a incomunicabilidade. Geralmente estes problemas estão presentes em casamentos que terminam em divórcio. Em contrapartida, casais que permanecem juntos com relação satisfatória, desenvolvem “antídotos” para estas quatro condutas desastrosas, rompendo a tensão com humor, expressões de carinho, trabalhando para reparar o dano ou a ofensa.

A comunicação saudável em uma família tem quatro aspectos chaves:

1. CLAREZA. A comunicação é clara, específica e direta. As pessoas “dizem, aquilo que realmente querem dizer” e também “querem dizer, aquilo que efetivamente disseram”. Há menos “monopolização” das palavras e um intercâmbio mais ativo entre os membros da família. Em lugar de ignorar, culpar, impor, competir, os membros das famílias saudáveis, tentam ajudar a resolver os sentimentos ambivalentes que acontecem entre eles, através de afirmações e perguntas esclarecedoras.
2. EXPRESSÃO ABERTA DOS SENTIMENTOS. As emoções não são reprimidas, mas permitidas e expressadas. Seus membros se reconhecem mutuamente quando FALAM e quando ESCUTAM. Para isso, desenvolveram uma série de habilidades relacionadas com o respeito e o cuidado com os sentimentos do outro, com a capacidade de falar por si mesmo e não pelos demais, com a capacidade de abrir-se e assumir responsabilidades por seus próprios sentimentos e ações, e outras habilidades.

3. COLABORAÇÃO NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Especialmente em momentos de crise e mudanças contínuas. Isto requer tolerância para discutir abertamente e habilidade para encontrar soluções. Quando na família há amor incondicional, junto com a disposição de conversar sobre as pequenas coisas diárias, a capacidade de resolver problemas aumenta. Mas quando não se vive e nem se expressa o amor, quando há dificuldade para dialogar, a ira, a frustração e o desânimo podem bloquear a capacidade da família para resolver os problemas diários e aqueles relacionados com as crises.

4. O AFETO É EXPRESSO COM LIBERDADE E REGULARIDADE. O afeto costuma expressar-se tanto em palavras como em atitudes. Ambas as formas são necessárias e devem ser coerentes. Em famílias saudáveis, se dá afeto de forma incondicional, apenas pelo fato de ser parte da família. Não quer dizer que não se exerça a disciplina quando alguém comete uma falta, mas que intencionalmente se preserva o ser da pessoa e a disciplina focaliza as condutas. Nas famílias onde flui o afeto de forma regular, nota-se a energia, a espontaneidade, a alegria e o otimismo.

VOCÊ ACHA QUE A COMUNICAÇÃO EM SUA FAMÍLIA É SAUDÁVEL OU NÃO?

Autor: Pr. Sergio Leoto (http://www.sergioemagalileoto.com.br/).


Deus te abençoe sempre
Pastor Marcílio Gomes Marinho



Nenhum comentário:

Postar um comentário